Desenvolvimento de base

Para a RedEAmérica, a definição de desenvolvimento de base é a capacidade coletiva das organizações comunitárias de movimentar por si sós os recursos humanos, físicos e econômicos disponíveis nelas e em seu entorno, de definir suas necessidades, identificar as alternativas de ação mais viáveis para a superação de seus problemas, e identificar, formular, executar e avaliar planos e projetos de desenvolvimento, cooperar com outros atores e incidir na agenda pública.   

Com este enfoque, busca-se aumentar as capacidades de ação coletiva dos cidadãos em condições de pobreza e exclusão, para que efetivamente possam construir cidadania, estabelecer suas preferências sociais, elaborar seus projetos, participar dos espaços públicos de concertação e definir as formas mais adequadas de vinculação com outras organizações e instituições para a solução dos problemas sociais.

"Pode-se dizer que uma entidade orienta seus programas de desenvolvimento comunitário com a perspectiva de DB se:

  1. Apoia, promove, acompanha e financia o desenvolvimento de projetos coletivos elaborados pela comunidade por meio de suas organizações de base.
  2. Promove o fortalecimento das capacidades coletivas das comunidades e de suas organizações por meio dos projetos. 
  3. Busca fazer com que o controle dos projetos esteja nas mãos das organizações de base e seus aliados.
  4. Promove a corresponsabilidade entre os diferentes atores vinculados aos projetos.
  5. Busca ampliar os vínculos das organizações de base com outros atores e expandir a participação dos cidadãos de baixa renda na vida pública a partir do encadeamento de intervenções a nível micro (dentro das organizações), meso (entre organizações de base com outras organizações) e macro (de organizações de base atuando com outras organizações e com os governos locais no espaço público). 

Uma entidade não orienta suas ações com a perspectiva de DB quando: 

  1. A entidade ou algum ente externo à comunidade define os projetos sem a participação das organizações de base.
  2. Os projetos estão orientados somente para a satisfação direta das necessidades e não contribui para a geração de capacidades coletivas.
  3. O controle dos projetos e a administração dos recursos dedicados a cada projeto não está nas mãos das organizações de base.
  4. Os projetos que apoiam não fortalecem nem as organizações nem a ação coletiva. 
  5. Gera dependência, passividade e paternalismo no transcurso dos projetos" (Rodrigo Villar, 2009, pp.10 e 11).

» Glosario ilustrado de términos